Follow by Email

Get all latest content delivered straight to your inbox.

Eliseu faz flutuar o machado

 INTRODUÇÃO

        

Os filhos dos profetas moravam num lugar estreito e necessitavam de um lugar mais amplo e confortável. Quando o profeta Eliseu os visitou, eles sugeriram irem ao Jordão para dali cortar madeira para a construção de uma habitação maior. Eliseu os autorizou a isso e, ao ser solicitado, se dispôs a ir com eles para supervisionar todo o trabalho.


        

Eliseu tipifica o Senhor Jesus, e Ele também deseja ver a igreja crescendo com a salvação de novas pessoas e o aperfeiçoamento dos seus servos.


Leitura e Comentário Bíblico: 2 Reis 6:1-7

E disseram os filhos dos profetas a Eliseu: Eis que o lugar em que habitamos diante da tua face, nos é estreito.
NÃO PODEMOS NO ACOMODAR, NA OBRA DE DEUS SEMPRE HÁ ESPAÇO PARA MELHORAR.

Vamos, pois, até ao Jordão e tomemos de lá, cada um de nós, uma viga, e façamo-nos ali um lugar para habitar. 
COOPERE COM O CRESCIMENTO DA SUA IGREJA.

E disse ele: Ide.
DEUS NOS CHAMA PARA UMA AÇÃO. 
 Marcos 16:15  Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
 Mateus 22:9  Ide, pois, às saídas dos caminhos, e convidai para as bodas a todos os que encontrardes.
 Atos 5:20  Ide e apresentai-vos no templo, e dizei ao povo todas as palavras desta vida.


E disse um: Serve-te de ires com os teus servos.
DEUS SEMPRE HONRA AQUELES QUE RECONHECE O PRINCÍPIO DE AUTORIDADE.

E disse: Eu irei.
DEUS ESTÁ APROCURA DE HOMENS E MULHERES QUE SE COLOCA À DISPOSIÇÃO DO SENHOR.

E foi com eles; e, chegando eles ao Jordão, cortaram madeira.

E sucedeu que, derrubando um deles uma viga, 
CADA UM CARREGANDO UMA VIGA E CADA UM CARREGANDO A SUA CRUZ.

o ferro caiu na água; 
NÃO SE AFUNDE JUNTO COM O MACHADO.

e clamou, e disse: Ai, meu senhor! ele era emprestado.
O SEU MACHADO TEM VALOR.


E disse o homem de Deus: Onde caiu?
O MACHADO CAIU, MAS NÃO PERMANECEU CAÍDO. Provérbios 24.16 pois ainda que o justo caia sete vezes, tornará a erguer-se, mas os ímpios são arrastados pela calamidade. 

E mostrando-lhe ele o lugar, cortou um pau, e o lançou ali, e fez flutuar o ferro.
DEPOIS DO MADEIRO TUDO MUDA PRA MELHOR.

E disse: Levanta-o. 
​O GRUPO SABE ENFRENTAR A CRISE. AS FRUSTRAÇÕES DE ONTEM NÃO SÃO DIGNAS DE TE ACOMPANHAR HOJE.

Então ele estendeu a sua mão e o tomou.
QUANDO A OBRA É DE DEUS NINGUÉM PODE PARAR. DEUS RESTITUI O QUE VOCÊ PERDEU.


DESENVOLVIMENTO

        

  • Os filhos dos profetas: Representam os obreiros; aqueles que foram gerados pela Palavra Profética, os quais precisam ter uma visão de crescimento e desenvolvimento de sua habitação. Esta habitação refere-se à igreja onde estão servindo ao Senhor, ao seu Grupo de Assistência e à Obra na sua área de uma forma geral.


O obreiro fiel é aquele que sempre está preocupado e trabalhando pela “ampliação” de sua igreja através do crescimento do seu Grupo, e não se acomodando com a situação de esterilidade em que se encontra. Ele deve ter a iniciativa de buscar resultados positivos no seu trabalho dentro do Projeto do Senhor, pois é isso que o Senhor espera dele. O obreiro acomodado acha normal a falta de crescimento do seu grupo e de sua igreja, ele mesmo apresenta desculpas para isso: O povo do bairro é difícil, os irmãos não têm dinheiro para irem à igreja, etc. Às vezes ele mora em um bairro onde não existe igreja da Obra e ele nem se dispõe a buscar o Senhor para que inicie uma igreja onde reside.


Mas quando o obreiro se preocupa com o “lugar estreito” em que está habitando e começa a se movimentar para mudar sua realidade, ele vai perceber que sua iniciativa tem a aprovação imediata do Senhor. Foi isso que aconteceu com os filhos dos profetas.


Depois eles convidaram Eliseu para os acompanhar até ao Rio Jordão para dali apanhar madeira para a construção. O obreiro precisa entender também que não pode realizar a Obra sozinho. Ele precisa da direção e da presença do Senhor para orientá-lo naquilo que vai fazer.


            

Todos vão ao Jordão e começam a cortar árvores – a obra só cresce com a salvação de vidas – o corte da madeira, a evangelização, o testemunho, o convite, a assistência, tudo isso faz parte do processo de “cortar a madeira”. O trabalho de evangelização é feito lançando-se o homem por terra e trazendo-o para a igreja. As pessoas resistem ao convite – a árvore não cai sozinha – elas precisam ser convencidas pelo Espírito Santo, que está conosco, e levadas à igreja para que se convertam.


        

Para realizar aquele trabalho, os filhos dos profetas usavam o machado. Ele precisava estar bem amolado e bem ajustado ao cabo de madeira, e o trabalhador precisava ter habilidade no seu uso para não machucar ninguém que estivesse por perto.


        

  • O ferro do machado: Tipifica a Revelação, aquilo que é do Senhor e do seu Espírito na vida do servo, pois é a parte de ferro quem vai realmente realizar a Obra de abate das árvores. O ferro é durável e resistente, precisa estar bem afiado, ser usado com dinamismo e com cuidado, pois é emprestado.


        

  • O cabo de madeira: Representa o homem que Deus usa na Obra. A madeira não é tão durável quanto o ferro, mas precisa ser resistente para suportar o esforço do trabalho – experiência e maturidade do servo. Precisa também estar bem ajustada ao ferro e ter um comprimento compatível – equilíbrio – para que o ferro não se solte e cause algum acidente.


        

Se o servo não estiver bem ajustado àquilo que é do Senhor ou usar de forma errada aquilo que recebeu, ele pode causar prejuízos para as pessoas ao seu redor ou para a própria Obra, nesse caso o servo perde a bênção e a instrumentalidade, pois o Senhor atua para preservar aquilo que lhe pertence – a queda do ferro na água.


CONCLUSÃO

        

Quando isso acontece, não adianta ficar lamentando o erro simplesmente, ou colocando a culpa nos outros. É preciso que haja o reconhecimento da própria falha – mostrar onde o ferro caiu – para se recuperar a comunhão e a bênção do Senhor.



        
Eliseu providenciou um novo cabo e fez o machado flutuar, e em seguida ordenou que o levantasse novamente e o tomasse na mão. O servo precisa aprender com os próprios erros, para que não venha a repeti-los novamente, ele precisa ser um novo homem, mais zeloso, mais prudente, mais sábio, com uma outra mentalidade, para que possa ser levantado e usado novamente na realização da Obra do Espírito.


Postar um comentário

0 Comentários